'O Mágico de Oz' - O Filme
Um Conto de Fadas (e Bruxas) Eterno

'O Mágico de Oz', de 1939, é sem dúvida um dos filmes mais queridos, vistos e cultuados de todos os tempos. Ele também representou um salto tecnológico para a época - foi um dos primeiros a usar o technicolor.

A crítica especializada frequentemente se refere ao filme como uma obra-prima de cenografia, figurino, coreografia, música, letras e história.

Mas muitos desconhecem que a película estrelada por Judy Garland não foi a primeira adaptação das aventuras de Dorothy e seus amigos para o cinema - pelo menos seis versões foram produzidas anteriormente, a maioria baseada mais no musical da Broadway de 1902, do que no romance original de L. Frank Baum.


































A versão da MGM

Em 1938, o poderoso Louis B. Mayer, fundador do famoso estúdio de Hollywood Metro-Goldwyn-Mayer, comprou, por sugestão do produtor Mervyn LeRoy, os direitos de tela para 'O Mágico de Oz' por US $ 75.000. A quantia era considerada astronômica para a época.





Impressionado com o sucesso estrondoso alcançado por Walt Disney em 'Branca de Neve e os Sete Anões', Mayer decidiu apostar suas fichas em um tema que pudesse atrair tanto o público infantil como o adulto. Walt Disney queria fazer 'O Mágico de Oz' após 'Branca de Neve', mas a MGM já possuía os direitos do livro, para a sorte de Mayer!




























































O filme começou a ser feito em 13 de Outubro de 1938 e foi concluído em 16 de Março de 1939, ao custo de US$ 2,7 milhões. Mas não pensem que tudo foram flores nestes cinco meses de produção!

'O Mágico de Oz' contou com o trabalho de 14 roteiristas e nada menos que cinco diretores diferentes: Richard Thorpe (afastado por seu trabalho ter sido considerado insatisfatório), George Cukor (assumiu a direção temporariamente), Victor Fleming (filmou a maior parte do clássico, até que foi chamado para 'E O Vento Levou'), King Vidor (filmou principalmente as cenas em sépia no Kansas) e o produtor Mervyn LeRoy, que também dirigiu algumas cenas de transição.


As Filmagens

Como a maioria dos filmes da década de 1930, 'O Mágico de Oz' foi filmado em sets construídos em estúdio. O set era tão grande que até nove câmeras foram colocadas em arbustos, plantas e vasos. As câmeras escondidas faziam os close-ups, enquanto a câmera principal era usada para capturar a cena toda.



















































"O Mágico de Oz" impressiona até hoje pela exuberância de sua fotografia, que utiliza vários modelos fotográficos (o início e o final são em sépia, enquanto o meio do filme é de um colorido deslumbrante), bem como pela criatividade dos cenários, pelo excepcional trabalho de maquiagem e pelos efeitos especiais absolutamente inovadores para a época.

O departamento de figurino da MGM fez quase 1000 peças para os 600 atores do filme. Os figurinos dos personagens principais eram altamente elaborados, mas até mesmo os trajes dos figurantes exibiam um rico acabamento e cuidado nos detalhes.





Estreia e Bilheteria ruim

Antes da estreia oficial, o filme teve três previews: dois no dia 11 de agosto de 1939 (em Kenosha, Wisconsin e em Cape Cod, Massachusetts) e outro no dia seguinte, no Strand Theatre, em Oconomowoc, Wisconsin.

A estreia em Hollywood ocorreu em 15 de agosto, no Grauman's Chinese Theatre. Já a estreia em Nova York, em 17/08, aconteceu no Loew's Capitol Theatre e foi seguida por uma apresentação ao vivo de Judy Garland e seu frequente parceiro de filmes, Mickey Rooney.

Eles continuariam se apresentando em estreias por semanas. A estreia nacional ocorreu em 25 de agosto de 1939.

O filme arrecadou aproximadamente $3 milhões (algo como $50 milhões atuais), o que contrariou as expectativas da MGM, que mal pagou o custo da produção. As críticas foram amigáveis, mas não arrebatadores e a bilheteria foi decepcionante.

'O Mágico de Oz' ganhou dois prêmios Oscar: melhor trilha sonora e melhor música por "Over the Rainbow".


TV, VHS, DVD e Blu-Ray

'O Mágico de Oz' tornou-se o fenômeno que é ainda hoje apenas quando foi relançado em 1949 e, principalmente, quando foi exibido pela primeira vez na TV, em três de novembro de 1956, na CBS. Estima-se que 45 milhões de pessoas tenham assistido a transmissão.

Encorajada pela resposta positiva, a CBS decidiu torná-lo uma tradição anual, exibindo-o todo mês de dezembro, de 1959 até 1962, no horário nobre. Desde então, o filme foi apresentado na televisão apenas uma vez por ano por mais de duas décadas. Quem era criança na década de 1960 viu 'O Mágico de Oz' em uma TV preto e branco a cada ano e esperava o ano inteiro por isso!

'O Mágico de Oz' foi lançado em VHS em 1980 e em laserdisc em 1989. O lançamento do primeiro DVD do filme foi em 26 de março de 1997.


































Em 2009, o clássico completou 70 anos de lançamento e para comemorar foi lançada uma belíssima edição do filme em Blu-ray, com vários extras, como documentários, a versão completa do filme mudo de 1914, materiais de bastidores como fotografias, notas de estúdio e páginas de script, curiosidades, depoimentos, cenas excluídas etc.


Curiosidade

Você pode não acreditar, mas o grande sucesso 'Over the Rainbow' por pouco foi excluído do filme: O produtor Louis B. Mayer não gostou nada do fato de que Judy Garland seria vista cantando em um curral, cercada de galinhas e outros animais. Graças ao produtor Arthur Freed, a música foi incluída!

Divulgaremos aqui no Site outras curiosidades de 'O Mágico de Oz'!


Fontes de Referência:

- "The Wizard of Oz, Produced by the Wizards of Hollywood, Works Its Magic on the Capitol's Screen". By FRANK S. NUGENT

- TO SEE THE WIZARD. Oz on Stage and Film

- Thoughts on 'The Wizard of Oz' at 70. Mick LaSalle, Chronicle Movie Critic. October 30, 2009

- Cult Movies - 7 Anos de Paixão Pelo Cinema

- O Mágico de Oz - Sete décadas de fantasia, sempre renovada. Por Regina Ricca.

- Wikipedia
 
  • Imprimir este conteúdo
  • Enviar para um amigo
  • Comentários
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  •  
 
 

Deixe aqui seu comentário

 
<< Primeira     < Anterior         Pág. atual: 1/8           Próxima >     Última >>

A história do Mágico de Oz

"A história de O Mágico de Oz foi escrita exclusivamente para agradar crianças de hoje. Ele aspira a ser um conto de fadas moderno, em que o espanto e alegria são mantidos e os sofrimentos e pesadelos são deixados de fora".

saiba mais

Glinda, a Bruxa Boa do Norte

saiba mais

A Estrada de Tijolos Amarelos

Você já parou para pensar em qual seria o significado da Estrada de Tijolos Amarelos (Yellow Brick Road) de 'O Mágico de Oz'?

saiba mais
 
 
Desenvolvido por Go2web

Teatro Alfa -